O que é eficiência energética na arquitetura e como pode te ajudar

maio 13, 2021Arquitetura0 Comentários

Eficiência energética na arquitetura pode parecer um termo complexo e até um pouco assustador, mas garantimos: ele não é nada disso. Inclusive, o próprio nome é um indicador do que esse conceito significa.

Basicamente, é usar a energia de forma eficiente, ou seja, reduzir e economizar o uso de energia elétrica em um imóvel, aproveitando toda a capacidade natural existente no espaço.

Assim, para que você entenda mais sobre o assunto, continue acompanhando o nosso blog.

Afinal, o que é a eficiência enérgica na arquitetura e como ela funciona?

Como adiantamos, a eficiência energética na arquitetura é aproveitar ao máximo um espaço para economizar energia, por meio de elementos naturais e, em algumas situações, com o auxílio de placas fotovoltaicas, para armazenar energia, ou aquecedores solares de água (vamos falar mais sobre os dois nos próximos tópicos).

Dessa forma, quando o projeto arquitetônico preza pela eficiência energética, a profissional responsável faz um estudo sobre a trajetória do sol e do vento, para entender o percurso de ambos ao redor do imóvel, de forma que exista conforto térmico, visual e acústico.

Assim, a casa ou o empreendimento será construído levando esses fatores em consideração. Isso é importante, porque a incidência de sol vai determinar a entrada de luz no local, para que as lâmpadas sejam usadas o mínimo possível durante o dia.

Já a trajetória do vento vai mostrar o maior nível de circulação do ar dentro da casa, ou seja, como será a temperatura do ambiente sem o uso de ar condicionado, o que também ajuda a reduzir o uso de energia, pensando não apenas no valor final da conta de luz, mas, também, na sustentabilidade.

Como aproveitar ao máximo a eficiência energética de um espaço?

Nós explicamos no tópico anterior que existem diferentes formas de usar a eficiência energética ao nosso favor em um projeto arquitetônico. No entanto, os recursos utilizados sempre irão variar de um local para outro.

Mas, existem alguns truques que funcionam muito bem nos mais diversos projetos arquitetônicos. O objetivo é proporcionar todo o conforto possível para a família residente.

As cores claras são ótimas amigas da eficiência energética na arquitetura

As cores claras, como branco ou tons pastéis, possuem mais capacidade de refletir e irradiar a luz do sol. Por isso, elas são a melhor pedida quando falamos em eficiência energética na arquitetura.

O mesmo também vale para os móveis, objetos decorativos e estofados. Quando eles são de cores claras, fazem com que o ambiente pareça maior e mais iluminado.

Mas, você também pode utilizar elementos para compor a decoração com cores mais próximas a natureza, como verde, azul e amarelo. Além de dar outra cara para o ambiente, combinam bem com os tons mais claros.

Além disso, um jeito de dar uma nova forma para o ambiente é usar vegetação interna. Para saber mais sobre esse assunto, clique aqui!

Janelas e cortinas

Quando falamos em eficiência energética na arquitetura, logo, as janelas e as cortinas estão associadas a esse combo.

As janelas são muito importantes por dois motivos: passagem de luz e de ventilação, o que contribui para tornar a casa mais aconchegante visualmente. Então, a nossa dica é para apostar em janelas grandes e amplas.

As cortinas também possuem um papel importante, porque janelas grandes podem tirar um pouco da privacidade. Dessa forma, a sugestão é para optar por tecidos claros e leves, como voil, seda, renda, organza e linho, já que eles não vão impedir a entrada da luz mesmo se as cortinas estiverem fechadas.

Portas

As portas também são essenciais para uma boa eficiência energética na arquitetura, já que, assim como as janelas, contribuem para a entrada de luz e ventilação na casa. A nossa sugestão é para que você substitua uma parede por uma grande porta de vidro de correr.

Além disso, elas contribuem na ventilação cruzada. Ou seja, quando uma casa tem alta incidência de luz, o ambiente pode se tornar muito quente. Dessa forma, ao fazer os estudos da trajetória do sol e do vento, a profissional responsável pelo seu projeto vai identificar o melhor lugar para posicionar esses dois objetos.

Fazer isso, cria duas aberturas em um mesmo ambiente. Uma vai permitir que o ar entre e a outra que ele saia. Garantindo ar fresco e renovado no ambiente com mais facilidade.

Claraboias

As claraboias são aberturas no teto das construções ou no alto de uma parede, para permitir e facilitar a entrada de luz ou ventilação no ambiente. Assim, são excelentes formas para aproveitar ao máximo a eficiência energética em uma casa.

Hoje, existem diferentes modelos de claraboias, como a comum, a cúpula, a tubular… mas, a melhor escolha é decidir em conjunto com a arquiteta responsável pelo seu projeto qual delas mais valoriza o espaço, levando em consideração todos os estudos que são feitos anteriormente.

Espelhos

Nós já falamos aqui que os espelhos são excelentes para casas pequenas, porque eles criam sensação de amplitude. No entanto, o seu uso não precisa ser restrito a isso, já que eles também contribuem para a iluminação natural, afinal, refletem a luz. Assim, o ideal é instalá-los em frente as janelas.

Se você preferir, pode optar por móveis espelhados, em tons metálicos ou materiais polidos, como itens em madeira com acabamento em laca, que pode ser brilhoso ou fosco.

Placas fotovoltaicas e aquecedores solares de água

Como prometemos lá no início, iríamos falar sobre as placas fotovoltaicas e os aquecedores solares de água, suas diferenças e como utilizá-los em um projeto que preze a eficiência energética na arquitetura.

As placas servem para gerar energia solar em uma residência. Isso ocorre porque o efeito fotovoltaico é obtido através de lâminas muito finas de materiais semicondutores, como o silício.

Assim, quando os raios de sol atingem a superfície do painel, conectado a um aparelho elétrico, é criado um fluxo de energia. Ela fica armazenada em baterias, conectadas à rede distribuidora.

Já os aquecedores de água são compostos de coletores solares e reservatórios térmicos (tanques para armazenamento da água aquecida).

Esses coletores, chamados também de placas, fazem a absorção da radiação solar, assim, o calor do sol é transferido para a água que circula nas tubulações de cobre e, posteriormente, é armazenada no reservatório térmico até o momento da utilização.

Use a eficiência energética na arquitetura no seu projeto!

Como você viu, a eficiência energética pode parecer um tema difícil, mas é fácil entender como ele funciona.

Se você preza por economia, conforto e iluminação natural, um projeto que pense na eficiência energética pode ser o certo para você. Assim, o certo é contratar uma arquiteta de sua preferência e confiança, que vai fazer os estudos necessários, entender e propor qual a melhor forma de construir seu imóvel.

Além disso, também é possível fazer pequenas reformas que valorizem mais o natural, como trocar janelas, quebrar paredes internas e trocar a cor dos cômodos.

Continue acompanhando o nosso blog para mais dicas de arquitetura!

Receba os conteúdos primeiro!

Deixe seus dados para receber semanalmente nossas dicas e conteúdos,