Design biofílico: como usar em projetos arquitetônicos

jun 3, 2021Destaques, Gestão de obras0 Comentários

Você já entrou em uma loja ou até mesmo visitou a casa de um amigo onde parece que a natureza “abraça” o ambiente? Na arquitetura chamamos isso de design biofílico.

Mas, para falar sobre esse conceito arquitetônico que vem cada vez mais ganhando adeptos pelo mundo todo, precisamos voltar alguns anos e entender o que significa biofilia.

O termo foi usado pela primeira vez pelo biólogo Edward O. Wilson, em 1984, quando ele lançou o livro Biophilia, pela Harvard University Press, e significa amor pela vida (do grego, bios: vida, philia: amor).

No livro, E. O. Wilson propõe uma “hipótese da biofilia”, já que, para ele, os seres humanos têm uma ligação emocional com outros organismos vivos e com a natureza, de modo que esteja nos nossos genes hereditariamente, porque 99% da história da humanidade foi desenvolvida próxima a natureza.

Assim, ele discorre sobre os jardins construídos nas casas, sobre a ligação dos moradores dos centros urbanos com parques, zoológicos e jardins botânicos. Ou seja, mesmo próximos das construções, sempre acabam recorrendo para o natural.

Dessa forma, de alguns poucos anos para cá, podemos observar a natureza se misturar com o concreto, por meio da iluminação, jardins internos, estudo do vento para verificar a incidência de ventilação dentro do ambiente, móveis de madeira e muito mais.

Vamos entender mais sobre esse assunto? Continue acompanhando nosso blog!

Por que a biofilia é usada na arquitetura

Seguindo a lógica do criador do termo biofilia, a natureza faz parte de nós e, mesmo que estejamos no meio da cidade, sempre buscamos maneiras de estarmos próximos a vegetações e ambientes mais puros.

Dessa forma, pessoas do mundo todo passaram a entender a importância de, em um ambiente fechado, se conectar com o mais puro que existe: a natureza. Portanto, ao projetar um ambiente com design biofílico, a arquiteta responsável faz tudo pensando na integração dos ambientes e como tornar a construção cheia de vida.

Além, claro de promover ligações emocionais, uma interação e um relacionamento positivo entre o homem e a natureza.

O que não é design biofílico

Antes de prosseguirmos, é importante que você entenda que algumas coisas podem ser confundidas com o design biofílico, mas como apresentamos, ele é pensado desde o início do projeto. Sendo assim, não é considerado como design biofílico:

  • Algumas plantas espalhadas pelo ambiente, mas com grande predominância do concreto;
  • Pouca integração das pessoas com a natureza;
  • Projetos focados na tecnologia.

Como aplicar o design biofílico

Se o design biofílico é amor pela vida, ele também leva em consideração o bem-estar das pessoas presentes no ambiente, seja um local comercial ou residencial, com o objetivo de satisfazer as nossas necessidades de estarmos próximos da natureza.

Assim, durante a aplicação, existem diversas técnicas que podem ser consideradas:

Acesso e vistas da natureza

Se você mora ou trabalha em um prédio muito alto e sua vista são apenas de outros prédios, podemos concordar que não será o melhor cenário do mundo. Dessa forma, alguns edifícios são feitos para oferecer vistas de tirar o fôlego, voltadas para o oceano ou diversas árvores.

Entretanto, sabemos que não são todos os lugares que possuem oceano. Assim, uma alternativa muito utilizada pelos arquitetos é projetar espaços com um pátio com árvores ou jardim de inverno.

Estudo do ar e da iluminação  

Nós já falamos aqui sobre eficiência energética e do estudo que é feito do sol e do ar, para entender a incidência de luz e ventilação. Quando estamos falando em design biofílico, há um estudo parecido, para entender como tornar o ar do ambiente mais puro.

Por exemplo, pessoas que trabalham em escritórios e ficam ali metade do dia, tendem a fazer algumas pausas e buscar um lugar para renovar as energias, respirar ar fresco. Dessa forma, um jeito de adaptar essa realidade para o ambiente é projetar um espaço com muitas janelas, portas de correr que se abrem para áreas externas, claraboias… todos aspectos que ajudam a renovar o ar de forma saudável e natural.

O mesmo ocorre com a iluminação. É feito um estudo, para entender como será a iluminação natural no espaço durante o dia. Afinal, muita luz pode atrapalhar, mas, a falta dela também é um problema.

Dessa forma, são utilizados dispositivos de proteção solar, como a implementação de tubos solares, para direcionar toda a luz natural para o local correto.

Paredes e telhados com vegetação

Além de tornarem o ambiente colorido e atrativo visualmente, as pessoas que circulam pelo ambiente podem se conectar melhor com a natureza. Outra grande vantagem é que, no calor, um telhado verde vai atuar como um fator de resfriamento e, no inverno, vai servir como um isolamento, tornando o ambiente mais aconchegante e aquecido.

Espaço para descanso com design biofílico

Especificamente quando estamos falando em um ambiente de trabalho, é interessante construir um ambiente de descanso para os funcionários, que forneça essa conexão com a natureza, tornando as pessoas menos estressadas.

Materiais naturais e cores relaxantes

Os materiais têm um papel primordial quando falamos em design biofílico, já que ajudam a conectar as pessoas com a natureza, como objetos feitos de madeira, pedras naturais instaladas nas salas e, claro, as cores das paredes, como azul, verde claro, que trazem sensação de calma.

Água

Alguns ambientes, devido ao tamanho, permitem instalar fontes de água ou até mesmo um espelho de água, com pedras no fundo, já que vê-la, ouvi-la, ou tocá-la influencia diretamente na forma como experimentamos um lugar e nos relacionamos com ele.

Benefícios de estar próximo da natureza

Como nós adiantamos, estar próximo da natureza pode ser uma forma de diminuir o estresse. Existem outros benefícios além desse e que são levados em consideração pelo design biofílico:

Aumento da concentração: conseguimos relaxar e reorganização nossas tarefas, ideias e afazeres;

Autoconhecimento: quando estamos imersos em um ambiente tranquilo, conseguimos prestar mais atenção em nós mesmos e em nosso comportamento;

Aumento da produtividade e criatividade: a natureza nos passa uma sensação de tranquilidade, assim, nossa mente fica mais leve e calma, conseguindo aguçar a criatividade.

Projetos de design biofílico nos conectam com o que há de mais puro

Durante muitos anos, as construções arquitetônicas não consideraram completamente a natureza como parte primordial de um projeto. No entanto, isso foi mudando aos poucos, como pudemos entender mais neste conteúdo.

Hoje, as construções são pensadas para nos conectarmos com o nosso natural, que faz parte de quem somos. Isso graças ao design biofílico.

Além de tornar o ambiente mais bonito visualmente, a natureza ajuda a reduzir o estresse, aumentar nossa criatividade e produtividade.

Mas, lembre-se: não é apenas colocar alguns vasos de flores espelhados pelo escritório. Por isso, se estiver interessado em construir algo integrado a natureza, não deixe de contratar um profissional capacitado. Ele vai estudar o espaço e apresentar a melhor possibilidade de projeto dentro do que você procura e espera.

Se gostou desse conteúdo, compartilhe com outras pessoas!

Receba os conteúdos primeiro!

Deixe seus dados para receber semanalmente nossas dicas e conteúdos,

11 + 15 =